Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Descansar

por O Gil, em 17.04.18

Às vezes

Só me apetece ir para casa

E descansar.

 

O tempo esmorece uma pessoa.

Seja o tempo dos dias

Ou o tempo da chuva

O preço é sempre o mesmo.

 

Há momentos até

Em que nada faço

Além de estar sentado

E ainda assim preciso de descansar.

 

Poderia estar morto

E mesmo assim de descansar

Eu necessitaria.

A morte

É a parte mais cansativa da vida,

Por muito que lhe chamem eterno repouso.

Imagino-me deitado no caixão

De olhos fechados

Com o único pensamento

De querer descansar.

 

Não sei que mais dizer,

Fazer nada devo fazer,

Só sei que às vezes apetece-me apenas

Descansar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:55


2 comentários

Perfil Facebook

De Vítor Freitas Jardim a 06.07.2018 às 15:33

UAU adorei este poema. Torna o melancólico em numa viagem ativa à procura de algo estático. No fundo, mais do que uma necessidade humana tornou-se num hábitos. Será que já nascemos cansados do mundo que está por vir? Hehe abraço. Boa escrita ;)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 06.07.2018 às 18:24

Obrigado Vitor! Abraço

Comentar post



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D


Pesquisar

  Pesquisar no Blog